Pular para o conteúdo principal

Postagens

Sensações

Nem sempre somos compreendidos. Carrego sempre comigo essa sensação de que deixei algo por dizer. Como se as palavras não encontrassem seu verdadeiro destinatário. Ou ainda, como se o óbvio não fosse tão sutil assim ao olhar do outro. O olhar... como faz falta. Esse recurso tão simples que é capaz de decifrar oitenta por cento de tudo e me poupa do esforço que é tornar claro algo que nem eu sei expressar. Tudo isso que se passa aqui, não faz sentido aí?
Postagens recentes

Páginas da vida

Abri esta página hoje, mesmo sem vontade de escrever. Os pensamentos voam, divagam, tudo está confuso... As ausências machucam, mesmo no mundo digital. É que quando você não aparece, me sinto inútil e, justamente neste momento, não me reconheço. Não sou feliz quando fico a esperar. Não sigo leve quando quero apenas ser vista. Não quero seguir assim, nessa espera angustiante. Chegou a hora de virar a página, mesmo sem saber se virá um novo capítulo ou um livro novo.

Por vir

Este período de inquietações, permitiu muitas reflexões. Entre estas, novas possibilidades profissionais. Daqui em diante, ninguém sabe como será o "novo". Só sei que quero me dedicar a diminiuir as desigualdades. A começar pelo meio onde vivo, meu bairro, minha cidade. Um passo de cada vez e outras ideias virão. Não quero viver com mais, enquanto tantos outros sobrevivem com menos.

Anseios

Silêncio.Nem sempre está presente. Às vezes pode ser constrangedor. Presenças que inibem o crescimento. Não quero mais viver assim... Anseio por espaços silenciosos. Silêncio que acolhe. Meu espaço, minha paz. Por hora, apenas o desejo da invisibilidade.

Tanto faz

Talvez você não saiba, mas este blog nasceu para registrar as palavras que não conseguia verbalizar ao vivo. Sim, essa dificuldade que a timidez sempre me trouxe. Tanto por dizer e na hora, não consiguia expressar o que gostaria. Durante vários anos foi mais fácil lanças essas palavras ao vento e respirar um pouco mais alivada. Talvez na esperança de que um dia você me encontrasse por aqui e aprendesse a me ler, literalmente. Ainda fico sem saber se isso de fato aconteceu, ou se estas palavras se perderam no vento. A única constatação atualmente é que o vento me trouxe essa sensação de tanto faz... O tempo passou. Os sentimentos mudaram. E tudo se tornou irrelevante. Menos esse desejo de ser encontrada por aqui.

Antes que seja tarde

Não quero alguém que fique ao meu lado por pena.
Quero alguém que se orgulhe de quem eu sou.
Não quero alguém que me use para gerar ciúmes em outra pessoa.
Quero alguém que me assuma por inteira, com manias e defeitos.
Não quero alguém que ria pelas minhas costas.
Quero alguém que ria junto comigo das bobagens da vida.
Não quero alguém que escute minhas histórias só por curiosidade.
Quero alguém que queira construir novas histórias comigo.
Não quero alguém que não saiba o que quer, só se lembre de mim quando precisa de um favor ou se sente sozinho. Porque eu sei o meu valor e prefiro caminhar sozinha pela vida do que com alguém que não quer me acompanhar.
Mas se você estiver disposto a seguir nessa jornada sonhando e redescobrindo a vida, lado a lado, serei eternamente sua parceira em qualquer lugar do mundo, diariamente.

Sem rumo

Retorno aqui. Página em branco, cursor intermitente, rádio ligado. Alguns dias são mais vazios que outros, a angústia teima em se sobrepor. Abro as redes sociais, espio rapidamente e não tenho vontade alguma de prosseguir com a barra de rolagem. Como se a internet, de uma outra para outra, me distanciasse mais das pessoas. Qual o sentido disso tudo, me pergunto. Não encontro resposta alguma. Sequer anseio pela resposta. Acredito que justamente por isso retornei aqui. Já havia pensado nestas páginas dias antes, mas só agora é que surgiu a vontade de lançar essas palavras soltas ao vento novamente. Tenho a sensação de que ninguém me lê. E talvez seja esse o conforto que busco: saber que essas palavras são invisíveis me tornam mais confortáveis de qualquer compreensão. Não espero que ninguém me compreenda. Neste momento quero apenas a liberdade de jogar essas palavras para fora desse coração apertado. E seguir um pouco mais leve, mesmo que sem rumo...